Bem Vindo!

Adesivos de Unhas (Películas para Unhas) - LOJA Nas Unhas

 

Verniz de unha

Verniz (português europeu) ou esmalte (português brasileiro) de unha é um líquido que se aplica nas unhas, tanto das mãos como dos pés, com uso normalmente estético, mas também como protecção para as unhas.

Geralmente, é aplicado nos salões de beleza por manicures (nas mãos) e pedicures (nos pés).

.

História

Desde 3500 a.C. as egípcias ja tingiam as unhas inicialmente pintadas de preto. No império Romano valorizava-se unhas bem polidas. Na China unhas compridas eram sinal de nobreza

Já em 1800 as unhas eram curtas e levemente arredondadas às vezes perfumadas com óleo vermelho e polidas com couro. Em 1830 surge o primeiro apetrecho de manicure, com este instrumento podia-se empurrar a cutícula, até o dado momento as cutículas era removidas com qualquer tipo de metal, tesouras ou ácidos. Em 1892 surgem os primeiros salões de manicure.

Em 1900 usavam-se tesouras e limas metálicas para dar forma às unhas. Para polir eram usados cremes colorantes e pós. Havia um modelo precursor de esmalte de unha como o conhecemos hoje. Este esmalte era aplicado com um pincel de pelo de camelo, entretanto, este esmalte não permanecia mais do que um dia nas unhas.

Em 1925 foi lançado um esmalte de unha transparente, em tom rosado. Ele é aplicado no meio das unhas – a meia lua e a ponta das unhas ficavam nuas.

Já 1932 Charles e Joseph Revlon, irmãos americanos, e um químico, criam o esmalte brilhante e colorido com pigmentos, para ser aplicado na unha toda. Nasce a marca Revlon e eles promovem pela primeira vez a tendência de maquilhar os lábios e unhas da mesma cor.

Na década de 70 vem os esmaltes sintéticos. As unhas tornam-se extremamente longas através de várias técnicas e estão na última moda.

Os esmaltes acrílicos são sucedidos pelos esmaltes de fibra de vidro em 1980. A decoração das unhas não é mais limitada aos esmaltes – pedras preciosas e vários acessórios entram em uso.

Esmalte masculino

O uso de verniz por homens nunca foi muito popular, embora isso pareça estar mudando nas últimas décadas. Ainda que de maneira discreta, os homens começam a explorar um território tradicionalmente feminino. Em meados da década de 2000, uma empresa brasileira lança uma linha especial de esmaltes para o público masculino. O esmalte masculino tende a ser fosco, e tem uma aparência menos brilhosa e menos chamativa do que os esmaltes femininos.

Alguns homens, no entanto, principalmente fãs de rock'n'roll, costumam usar esmaltes de cores escuras ― especialmente o preto ― desde os anos 1970. Astros do rock como Ozzy Osbournee Slash aparecem frequentemente com as unhas pintadas.1 Outras celebridades como Johnny Depp e Seal2 também são adeptos do uso do verniz.

Esmalte em gel

Com uma nova tecnologia, pesquisadores conseguiram criar um tipo de esmalte em gel, capaz de durar até 15 dias. O inconveniente deste tipo de esmalte é que, com o crescimento das unhas cria-se um espaço sem a cobertura do esmalte. Contudo, para mulheres que tem dificuldade em manter o esmalte bonito devido ao contato com objetos que estragam a pintura do esmalte, este tipo de esmalte é muito recomendado.

Os diferentes tipos de lixas de unhas

Além de variar nas cores e no tamanho, as lixas também têm funções diversas.
  • O cuidado com as mãos é coisa séria, ainda mais com a febre dos esmaltes que recentemente tomou conta do país e fez a cabeça das brasileiras passando a ter um lugar de destaque no dia a dia das mulheres. Mãos bonitas, com unhas saudáveis e bem feitas são um ótimo cartão de visitas para quem deseja causar boas impressões.

Mas não basta cuidar das cutículas e pintar as unhas direitinho – lixar também faz parte do processo e é fundamental para a boa aparência. Unhas tortas, quebradas, lascadas ou com tamanhos muito diferentes trazem a impressão de descuido. Por isso, fique atenta com o comprimento e o formato de suas unhas.

Para que todos os seus dedinhos fiquem em dia com a beleza, é preciso lixar as unhas do tamanho e formato que mais lhe agradam. Mas não basta simplesmente pegar a lixa e passar nas unhas sem cuidados. Lixar de maneira descuidada pode enfraquecer as unhas e deixá-las quebradiças. É por esse motivo que existem tipos diferentes de lixas no mercado – cada uma com uma função e um acabamento diferente.

Lixas de areia

São as mais comuns. Geralmente finas e bastante ásperas, existem também em versões coloridas. São feitas em uma espécie de papel prensado e recobertas com os grãos de areia, por isso são bem baratas e não devem ser molhadas. As lixas de areia são frágeis e devem ser descartadas após serem usadas algumas vezes. Nos salões, é recomendado o uso de apenas uma lixa por cliente, pois o pó que as unhas soltam ao serem lixadas, se ficar depositado na lixa, pode acumular fungos e prejudicar as unhas de outras pessoas.

Acabamento das unhas: por ter uma superfície mais áspera, esse tipo de lixa é bastante agressivo às unhas. Mesmo se usada com moderação, ela age de maneira violenta nas lâminas da unha – é por isso que aparecem aquelas sobras brancas depois de lixar. Quando isso acontece, as unhas estão mais sujeitas a descamações, quebras e fissuras. Geralmente requer um acabamento com uma lixa mais fina para deixar as unhas mais bonitas.

Lixas de metal

Esse tipo de lixa geralmente vem acompanhando kits de manicure ou utensílios, como cortadores de unha ou canivetes, por exemplo. Também é possível comprá-las individualmente por um preço médio. Trata-se de uma placa de metal texturizada – a textura é a responsável por lixar as unhas. São laváveis e assim evitam a proliferação de fungos ou bactérias que podem prejudicar as unhas. Não parecem muito eficientes, mas são ideais para casos de emergência como lascas ou eventuais quebras. Por serem mais duráveis, as lixas de metal são ótimas para serem carregadas na bolsa.

Acabamento nas unhas: deve-se ter bastante cuidado ao usar esse tipo de lixa. Como elas não parecem lixar tão bem quanto uma lixa de areia, temos tendência a aplicar força para gerar mais atrito entre a lixa e a unha. Mas isso é muito prejudicial – a pressão do metal na ponta da unha pode refletir na matriz e isso prejudica seu crescimento. Certamente, as lixas de metal são menos agressivas do que as de areia, mas se houver força na hora de lixar, o risco de descamação, quebras e fissuras também existe.

Lixas de vidro

Mais difíceis de serem encontradas no mercado brasileiro, essas lixas geralmente são importadas e por esse motivo são mais caras do que as outras lixas. A superfície de vidro é suave e delicada ao toque, se comparada às outras lixas. E mesmo com esse aspecto mais frágil, as lixas de vidro são muito eficazes. Têm boa durabilidade e são laváveis. Mas exigem cuidados especiais: por serem feitas de vidro, essas lixas não podem sofrer pressão ou queda, caso contrário, elas quebram – assim não são a melhor opção para carregar na bolsa.

Acabamento nas unhas: são as lixas mais indicadas para preservar as lâminas da unha. A superfície suave proporciona um lixamento perfeito, sem fazer com que as unhas produzam aquele pó ou fiquem com sobras branquinhas junto à unha, como acontece quando se usa uma lixa de areia. Assim não é necessário usar outra lixa para conseguir um bom acabamento.

. . . . .

Usar lixas que não são adequadas para o seu objetivo pode danificar muito as unhas. Por isso, analise bem e escolha o modelo que se encaixa melhor às suas necessidades e sua rotina. Algumas mulheres precisam manter as unhas sempre curtinhas, então o melhor é manter uma boa frequência de lixamento para não precisar recorrer às lixas de areia para conseguir um efeito “imediato”. Já aquelas que desejam ter unhas grandes, não vão lixar com tanta regularidade e precisam redobrar os cuidados para que elas não quebrem, assim é melhor investir em uma lixa suave que não agrida a unha e permita que ela cresça.

Em hipótese alguma as lixas apresentadas acima devem ser utilizadas na superfície das unhas. Para essa finalidade, existem lixas especiais que servem para o polimento da superfície das unhas. Elas amenizam as imperfeições das unhas e ainda conferem brilho e um bom acabamento.

Escolha o seu modelo e mãos à obra!

Mitos e Verdades sobre as unhas

 

Voltei aqui com mais um post de utilidade pública…mitos e verdades sobres esmaltes…Quem aqui amigo, hehe nunca usou esmalte escuro para fortalecer as unhas ou passou alguma receita bizarra só para fortalecer?! Então resolvi fazer um post com as dúvidas mais freqüentes das leitoras.

Quer saber o que é mito ou verdade, pega na minha mão macia e vem comigo!

- ESMALTE ESCURO FORTALECE AS UNHAS?

MITO: Este mito é inventado pois esmaltes  escuros tem maior quantidade de formol (em breve falo sobre acrescentar formol nos esmaltes para fortalecer as unhas) e isso endureceria as unhas. Mas não acontece, o que pode ocorrer é que por o esmalte ser escuro você dê maior atenção às unhas para que não fiquem com um aspecto desleixado. Porém, isso é apenas mito!!!

- É BOM FICAR PELO MENOS 1 DIA SEM ESMALTE?

VERDADE: Sim, as unhas precisam respiram como todo o organismo e por isso é indicado que fique um dia (pelo menos) da semana sem esmalte ou base.

- ESMALTE CINTILANTE ENFRAQUECE AS UNHAS?

MITO: somente o que muda entre o esmalte cremoso e cintilante é pigmento, portanto não enfraquece nada as unhas!!!

- ROER UNHAS É UMA DOENÇA?

VERDADE: Sim e se chama Onicofagia. “ A necessidade de roer e até comer as unhas freqüentemente está ligada a um estado psicoemocional de ansiedade. É considerado um ato compulsivo porque é um movimento repetitivo e irracional que a pessoa faz para minimizar estados de ansiedade.”

- LIXAR AS UNHASEM VEZ DE CORTÁ-LAS, AS DEIXA MAIS FRACAS?

- MITO: Isso não interfere em nada nas unhas. Tanto faz se você corta ou lixa. O que acontece é que unhas lixadas em certos formatos, como as quadradas, por exemplo, tendem a quebrar mais facilmente, mas isso por causa do formato.